segunda-feira, agosto 04, 2008

PASSATEMPO DE VERÃO, VII


"E TUDO O VENTO LEVOU"

Para uma mulher arrebatada, com uma paixão por História (e por museus, que é uma forma de revivificar a História, acordando-a para o presente), aqui fica "E Tudo o Vento Levou", de Victor Fleming (e de outros, entre os quais George Cukor, que "desenhou" a fabulosa Scarlet O'Hara, que imortalizou Vivien Leigh). Assim, para a Isabel Victor, de "Caderno de Campo", uma das obras-primas do cinema:










































4 comentários:

inominável disse...

o vento o leva, o vento o traz...

isabel victor disse...

Gone with the Wind ...

Lauro, Lauro, Lauro António.

Obrigada


Sem palavras ...


Fica o convite para tal degustação à beira rio, em azul prata, com simpáticas e simpáticos pecadores.

Salvé !



iv*

Lóri disse...

Eu, que não sou a Isabel, mas que não resisto a uma boa história de amor, vivida ou ouvida ou lida ou, sobretudo, filmada; e que não dispenso um museu, grande ou pequeno; venho agradecer ao Sr do cinema a lembrança que me levou de volta a um não-tempo que o vento não leva, só afasta como as ondas e trás de volta por obra involuntária de cinéfilos aplicados como tu.

Beijo carinhoso,

PS:Vou relaxar da semana diante de "O cavaleiro das sombras e a dama do telhado".

Lóri disse...

Btw, o filme foi "Le Husard sur le toit" de Jean-Paul Rappeneau. Tem tudo, Binoche, uma história de amor à beira mágoa e até um gatinho que parece actor. Hoje, chove e eu fiz grasse matinée revendo o filme. Não há mesmo nada como cinema do bom, mon cher Mr. Movie.

Bises