segunda-feira, janeiro 05, 2009

GRANDE CONCERTO DE ANO NOVO

GRANDE GALA STRAUSS
Acabei de ser dirigido pelo maestro búlgaro Dimitar Panov no encerramento do “Grande Concerto de Ano Novo”, dedicado a “Johann Strauss”, no Coliseu dos Recreios. No dia um deste mês tinha assistido, via RTP, a um outro “Concerto de Ano Novo” ou “Grande Gala Srauss”, este “comme il faut”, com tudo “en su sitio”, isto é em Viena de Áustria, com músicos e bailarinos de primeira escolha. Os de Lisboa não eram maus, vêm daquela tradição de eficazes funcionários públicos das ex-democracias de Leste, tocam bem mas não encantam, têm a lição bem aprendida mas falta-lhes alma. A Strauss Festival Orchestra tocou o reportório habitual, esse mesmo a que íamos, Tatsiana Piatrova, soprano, destacou-se pela bela voz nalgumas áreas, e o Strauss Festival Ballet Ensemble enfeitou o conjunto com a elegância das meninas e alguma falta de jeito dos meninos. O Coliseu dos Recreios tinha meia plateia cheia e o resto às moscas, e, no final, quando o maestro deu ordem para se atacar a “Marcha Rdetzky”, lá vieram as palmas do público. Dimitar Panov acenou para nós, e, única excitação extra, nós acompanhámos ao ritmo. Foi assim que acabei de ser dirigido pelo maestro búlgaro Dimitar Panov. No Coliseu dos Recreios. Neste caso o nome está muito bem atribuído: dos recreios. Foi o que aconteceu: um recreio de início de ano para exorcizar os demónios que dizem que podem vir aí.

3 comentários:

Hugo Cunha disse...

Quero tambem agradecer ao Canal de cabo Mezzo, por me ter dado outra oportunidade de escutar o mesmo maestro uma vez que ele é soberbo que esteve gala transmitida no dia 1 ao início á tarde na RTP, so que neste caso num concerto gravado em Buenos Aires ao Vivo numa praça em que se escutaram alguns dos maiores tangos alguma vez feitos. Adorei ambos os concertos muito obrigado.

Rui Luis Lima disse...

Caro Lauro António!
Num ano anterior, o Coliseu dos Recreios ofereceu-nos esta mesma "gala" e a sala estava cheia. Quando começou o espectáculo todos perceberam como tinham sido enganados. Após o intervalo, muito público foi saindo lentamente. Permanecemos até ao final, mas jurámos nunca mais cair noutra.
Abraço cinéfilo
Rui Luís Lima

Hugo Cunha disse...

Já agora, Maestro Daniel Barenboim que é o mesmo dos concertos televisionados por mim cancela apresentações no Médio Oriente no próximo fim-de-semana por questões de segurança, é a porcaria de Mundo que temos.