quinta-feira, junho 29, 2006

TERESA SÁ (again)


Recebi da Teresa Sá esta nota e fiquei surpreendido.
Então eu não havia já dito que que és muito boa fotógrafa?
É preciso dizerem os ingleses?
Enfim, um beijo de parabéns e continua sempre. Afinal o Prémio de há uns anos no Porto foi merecido...

Teresa Sá has sent you a link to a weblog:
o meu site foi selecionado entre muitos num site de fotografia ingles, estou doida de alegria!
Blog: raspberriesandbedroomsPost: gommaLink:
http://raspberriesandbedrooms.blogspot.com/2006/06/gomma.html

Para ver, o melhor é este, directo a Teresa Sá:
http://www.gommamag.com/v3/index.html

Em 2004, no CineEco, apresentamos uma exposição de Teresa Sá. Os textos aparecidos foram estes:
TERESA SÁ
O cinema é fotografias em movimento. Uma mentira. As fotografias não se movimentam. É um vício de visão que permite essa aparência. Uma ilusão. A fotografia também pode tentar captar a ilusão do movimento do cinema. Uma mentira, como tantas outras em arte. Da mentira se alimenta a ilusão, da ilusão se alimenta a arte. Desta ilusão se alimenta Teresa Sá quando tenta nas suas fotografias fixar o movimento de filmes que viu e ama. Uma ilusão que passa pelo seu corpo, afinal o seu grande tema, obsessiva, na linha de muitos outros artistas como Cindy Sherman, por exemplo, óbvia influência do seu trabalho. Como tantos outros pintores, escultores, fotógrafos, performers que utilizam o próprio corpo para matéria plástica das suas obras. Teresa Sá faz passar por si a imagem (a carne e o sangue) e a recordações de outras imagens (cinematográficas) em muitos dos seus trabalhos. Com resultados por vezes perturbantes, por vezes extremamente interessantes. Um percurso a acompanhar de futuro. Em que apostamos, desde já. Lauro António

As fotografias de cinema sempre me comoveram.
Não sei ao certo se pela luminosidade, se pelo que estava por detrás de cada gesto ou cada pose. O certo é que as imagens de filmes andaram sempre pela minha cabeça.
Utilizando a fisicalidade do corpo que me está mais disponível (o meu), desdobro-me, falsifico-me, até encontrar a esperada emotividade que quero atirar cá para fora.
Algumas destas imagens que apresento são o resultado de uma intensa investigação, outras nasceram naquele mágico momento em que se pressionou o disparador.
Entre 1999 e 2004, todas traduzem o amor do cinema e da representação. Teresa Sá

3 comentários:

MRF disse...

pequeno engano: "again" não tem "t" (a não ser que queiras escrever "against" mas não me parece.

E parabéns à Teresa Sá!

Anónimo disse...

E, como hoje todos verificámos, vozes de ingleses não chegam aos céus!!! O que está a dar é ser considerado bom para os portugueses! Ah, desta vez a Teresa não me mandou novas de seus triunfos... mas congratulo-me na mesma! E mando-lhe os meus parabéns.
MEC

teresa sá disse...

ah, obrigada, so agora vi isto!!!