sexta-feira, janeiro 19, 2007

Estão a tornar-se demasiado familiares estes corredores

Estão a tornar-se demasiado familiares estes corredores. A entrada para as urgências, o silvo da ambulância pelas ruas, o táxi atrás, a tentar não perder contacto, o registo e a falta de memória que a ansiedade provoca, nome, morada, número não sei de quê, o quê?, quem?, não interessa, preciso de auxílio, socorra-me, salve-o, salve-a, que importa o nome e o número, mas importa, e ali se fica até chegar à triagem, quais as doenças?, que aconteceu?, por que está assim?, quais os medicamentos que toma?, não sei, não me lembro, sei que está assim, mal, salve-a, salve-o, mede-se a tensão e a diabetes, o pulso, e a seguir vêm os corredores, as macas de colchões azuis e lençóis com a marca do hospital. Os serviços. As esperas. Hoje neurologia. Noutro dia medicina, cardiovasculares, ortopedia. As esperas. Os exames. O rádio X. A ecografia. As análises. A espera num banco, rodeado de tantos que esperam como eu, com macas atravessadas, cadeiras de rodas, gritos de dor, gemidos e silêncios de quem já não pode gemer ou gritar. Os que protestam pela demora, “estou aqui há quatro horas e ainda não me trataram, não vejo médicos, por onde andam?, É para isto que pagamos impostos?”, e os que esperam brandamente que sejam atendidos, os que juntam à dor a timidez de estarem vivos, desculpem o incómodo, fui atropelada, desculpem estar aqui a ocupar vez. Continue AQUI

o filho, a mãe, o neto.

6 comentários:

Anónimo disse...

Olá!Gostei muito das pinturas que o seu pai fez da sua mãe.Que privilégio.Que fazer? A vida é assim, somos matéria em desgaste contínuo.Mas compreender não ajuda a suportar a decadência...

Mendes Ferreira disse...

excelente retrato da memória.



________________
lindos. os três.
________________



Lauro. um abraço.
bem apertado.


__________________.



sentido.

Anónimo disse...

Um abraço apertado a todas /os. Os corredores agora já são outros. só fica a memória. LA

Matilda Penna disse...

Sim, ficam as boas memórias.
Um abraço grande, um abraço daqueles que confortam...

Anónimo disse...

a memória, a grande vencedora...




beijo, querido Lauro.


B.
_________________________

isabel victor disse...

As memórias _____________________

Fio a fio, ponto a ponto -------- vão ... como que passajando ______________

o rasgão que se abre nas nossas vidas______________________



Um beijo caro LA (dos que, mesmo virtualmente, confortam ...)