quarta-feira, dezembro 03, 2008

THE RAVEN, 2 VERSÕES e 4 TRADUÇÕES

THE RAVEN
"O Corvo", o mais célebre poema de Edgar Allan Poe, teve duas versões e inúmeras traduções. Reunimos no blogue "Meia Noite Fantástica" as duas versões do autor e quatro traduções brilhantes, todavia, cada uma delas tão representativa de Edgar Allan Poe como de cada um dos escritores que as traduziram (Baudelaire, Malharmé, Fernando Pessoa e Machado de Assis). O que demonstra bem que quem lê, o faz segundo a sua experiência e sensibilidade, pelo que não há duas "leituras" iguais, e que quem traduz pode não trair, mas nunca reproduz a experiência do original.

THE RAVEN

Once upon a midnight dreary, while I pondered, weak and weary,
Over many a quaint and curious volume of forgotten lore,
While I nodded, nearly napping, suddenly there came a tapping,
As of some one gently rapping, rapping at my chamber door.
" 'Tis some visiter," I muttered, "tapping at my chamber door —
Only this, and nothing more."

Ah, distinctly I remember it was in the bleak December,
And each separate dying ember wrought its ghost upon the floor.
Eagerly I wished the morrow; — vainly I had tried to borrow
From my books surcease of sorrow — sorrow for the lost Lenore —
For the rare and radiant maiden whom the angels name Lenore —
Nameless here for evermore.

(...)

(continua AQUI)
(imagem "roubada" a IMF)


3 comentários:

Frioleiras disse...

Boa sugestão, pois... para prenda de Natal!
Thks!

belinha disse...

Eu sei que destoa um pouco do conjunto...mas e o episódio de Os Simpsons dedicado a este poema?! É narrado por James Earl Jones e possivelmente responsável por grande popularidade do mesmo junto da malta mais nova:

"Nevermore"!

Anónimo disse...

beijossssssssssssssssssssssss....








.piano.