quarta-feira, março 04, 2009

NA QUALIDADE DE FALECIDO

.
.

6 comentários:

Margarida Araújo disse...

Desconhecia que a morte é uma qualidade, pensava que era mais um estado, uma finitude.
Desconhecia que depois de falecida ainda o tivesse provar.

Filipe Machado disse...

Surreal... Este ofício é mesmo autêntico?!

Filipe Machado disse...

Surreal... Este ofício é mesmo autêntico?!

CNS disse...

Bem disse Einstein que apenas existem duas coisas infinitas: O universo e a estupidez humana...

Bernardo Moura disse...

Estes ofícios são mais comuns do que nós julgávamos ser. É triste. É surreal!

Gostei muito do seu blogue, voltarei!

Cumprimentos

dumoc disse...

Demonstrativo da prepotência (e estupidez) ainda vigente, de quem se encarrega das leis e da justiça.
Haverá seguramente muitos casos mais...e ainda querem que os levemos a sério?