sábado, dezembro 23, 2006

NATAL, 4


MIGUEL TORGA
"NATAL"

Ninguém o viu nascer.
Mas todos acreditam
Que nasceu.
É um menino e é Deus.
Na Páscoa vai morrer, já homem,
Porque entretanto cresceu
E recebeu
A missão singular
De carregar a cruz da nossa redenção
Agora, nos cueiros da imaginação,
Sorri apenas
A quem vem,
Enquanto a Mãe,
Também
Imaginada,
Com ele ao colo,
Se enternece
Os corações,
Cúmplice do milagre, que acontece
Todos os anos e em todas as nações.

Imagem: "Mural"

3 comentários:

Ida disse...

Na Páscoa vai morrer, já homem,
Porque entretanto cresceu
. Adoro o Torga, já o Natal, nem por isso. Prefiro a Páscoa, porque é mais fresca, no Sul, onde vivo, e porque fala de renovaçao, como nos povos antigos, do Norte, antes que os romanos impingissem essa imagem de um Deus sofredor e autoritário. Mas do Natal, o que me enternece são as pequenas ações q desembocam no encontro e que parecem satisfazer mais quem as faz do que quem as recebe. Tá muito bonita a tua série de Natal, palavras e imagens. Deixo-te um beijo de Feliz Natal com muita chuva, de estrelas ou do que quiseres!

Ana Carvalho disse...

Um Bom Natal e um Próspero Ano Novo, são os votos de "No Mundo dos Museus".

Saudações museológicas,
Ana Carvalho
http://nomundodosmuseus.wordpress.com/

wasted blues disse...

Boas Festas! :)