domingo, janeiro 20, 2008

APRESENTAÇÃO DE LIVRO EM BRAGA


O Instituto Confúcio da Universidade do Minho
Apresenta o livro (e ciclo)

ZHANG YIMOU
de Lauro António
5 dias, 5 filmes - ciclo de cinema de Zhang Yi MouCPII - U.Minho - Braga,entre segunda-feira, 21-01-2008 e sexta-feira, 25-01-20085 dias, 5 filmes - ciclo de cinema de Zhang Yi Mou 21 a 25 de Janeiro 2008, 18h00, Anfiteatro B1, Complexo Pedagógico II, Campus de Gualtar
Decorre no próximo dia 21 de Janeiro, pelas 17h30, no Anfiteatro B1 do Campus de Gualtar, em Braga, o lançamento de uma monografia sobre o cineasta chinês Zhang Yimou, da autoria do cineasta português Lauro António. O lançamento desta obra conta com o apoio do Instituto Confúcio da Universidade do Minho e marca o início de um ciclo de cinema do mesmo cineasta chinês, com uma apresentação sobre a obra lançada, a obra de Zhang Yimou e as películas a apresentar durante o referido ciclo.
Durante a sessão será serviço chá chinês ''O Segredo da Flor''.

Nascido em Xi?an, China, em 1951, Zhang Yimou é um dos melhores realizadores chineses da 5ª Geração, respeitado e reconhecido um pouco por todo o mundo.
Tendo alcançado o sucesso da crítica cinematográfica e comercial muito cedo, Zhang Yimou é hoje em dia um dos realizadores mais influentes no mundo do cinema, contando já com inúmeras nomeações e prémios para filmes como ''Ju Dou'', ''Esposas e Concubinas'', ''Herói'', ''Nem um menos'', ''Casa dos Punhais Voadores'', entre outros.
Um dos fins estatutários do Instituto Confúcio da Universidade do Minho é a promoção de actividades culturais relacionadas com a China que elevem o interesse público pela sua história e cultura, designadamente ao nível da literatura, história, arte, filosofia, sociedade e economia, e ciência e tecnologia, através de actividades que podem incluir cursos intensivos, conferências, seminários, exposições e ciclos de cinema.
Esta iniciativa resulta não apenas do interesse cultural em si do(s) evento(s), mas também da auto-exigência de promover e aproveitar todas as oportunidades de cooperação entre discentes e docentes da Licenciatura de Estudos Orientais, e entre os mesmos e o Instituto Confúcio. A proposta de organização deste ciclo de cinema partiu de uma aluna da Licenciatura em Estudos Orientais, tendo o Instituto decidido agarrar a ideia com ambas as mãos, agendando e cabimentando a iniciativa para o Plano e Orçamento de 2008.

Filmes do Ciclo de Cinema
(todas as sessões têm início pelas 18h e decorrem no Anfiteatro B1, Campus de Gualtar)

- Herói, 21 de Janeiro, 2.ª feira;
- O segredo dos punhais voadores, 22 de Janeiro, 3.ª feira;
- Nem um menos, 23 de Janeiro, 4.ª feira;
- Caminho Solitário, 24 de Janeiro, 5.ª feira;
- A Maldição da Flor Dourada, 25 de Janeiro, 6.ª feira.


(Notas fornecidas pelo Instituto Confucio)

5 comentários:

Sony Hari disse...

O meu interesse maior pelo cinema chinês começou com “O Tigre e o Dragão”, do Ang Lee. No que respeita a Zhang Yimou vi apenas, e com grande pena minha, “O Segredo dos Punhais Voadores” e “A maldição da Flor Dourada”. São pérolas, e não me parece exagero nenhum dizê-lo. A graciosidade é uma constante, mesmo quando as cenas se enchem de sangue, de lâminas de punhais que cortam sem hesitação. A sincronia tem um grande impacto, transforma-se em arte.
As minhas felicitações ao Lauro António pelo livro e por mais este contributo para a promoção cultural. Beijinhos

Lauro António disse...

Minha querida Sony Hari, obrigado pelas palavras, e por tudo o mais, que só demonstra amizade. Beijo.

Cardoso disse...

boa noite, recebi a informação desta apresentação do site da universidade do minho, entao vem a braga amanha?
Abraço

Rui Luís Lima disse...

Foi no saudoso Quarteto que lhe fixámos o nome, após a visão de "O Milho Vermelho" e com ele descobrimos essa actriz espantosa chamada Gong Li.
Abraço cinéfilo

annabel lee disse...

A exibição tem estado a correr lindamente! Particularmente ontem o auditório teve muita gente com o "nem um a menos". Penso que estas obras mais raras e mais desconhecidas do cineasta estão a cativar a atenção do público. Um beijo grande