quinta-feira, janeiro 24, 2008

CINE ECO: EXTENSÂO NOS AÇORES COMEÇA HOJE

CERCA DE 20 FILMES
A EXIBIR EM ANGRA E PRAIA
Arranca hoje em Angra do Heroísmo e Praia da Vitória a primeira extensão do Cine Eco 2007 – Festival de Cinema e Vídeo de Ambiente, que teve a sua décima terceira edição em Seia, na Serra da Estrela. Trata-se da primeira extensão deste Festival a visitar os Açores, num conjunto de filmes e documentários, sendo que na Terceira serão cerca de 20 filmes exibidos até ao próximo dia 27 de Janeiro.As sessões que vão decorrer simultaneamente no Centro Cultural de Angra e no Auditório do Ramo Grande, durante a tarde e a noite, terão apresentações gratuitas, e pretendem relacionar a cultura cinematográfica com a sensibilização ambiental. É de salientar que as sessões da tarde têm como público-alvo os alunos das escolas secundárias e universidade. Esta iniciativa resulta de uma parceria conjunta da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar com as duas autarquias da Terceira.
Dos cerca de 20 filmes em exibição, portugueses e estrangeiros, destacam-se o projecto vencedor do Grande Prémio do Ambiente no Cine Eco 2006, “Ainda há Pastores”, de Jorge Pelicano. Trata-se de uma história que aborda um lugar chamado Casais de Folgosinho, situado num vale entre as montanhas da Serra da Estrela, onde não há luz eléctrica, não corre água canalizada, muito menos estradas. Em tempos aquele local foi um autêntico santuário de pastores, hoje, os mais velhos vão morrendo e os novos fogem da dura sina de ser pastor. Quanto ao filme vencedor do mesmo galardão em 2007, “Encontro com Milton Santos”, do realizador brasileiro Sílvio Tendler, refere-se a uma história com base numa entrevista com o geógrafo Milton Santos. O documentário, que conta com a interpretação de Beth Goulart e Fernanda Montenegro, expõe um pensamento sobre a globalização, necessária e desejada, bem como discute as distorções impostas aos países pobres que pagam injustamente pelo crescimento da economia dos países ricos e as consequências provenientes dessa lógica do capital, que amplia as diferenças ao invés de redistribuir as riquezas.

1 comentário:

Ana Paula disse...

Uma excelente iniciativa! A cultura cinematográfica faz sempre falta!