sexta-feira, agosto 24, 2007

TRANSGÉNICOS E ASSÉDIO SEXUAL

Coisas que não percebo muito bem

1. Sou director de um festival de cinema e ambiente e tenho visto, e feito ver, durante treze anos, muitos filmes sobre sementes manipuladas e transgénicos. Confesso que não sei ainda hoje se há algum perigo real nesta prática, de tal forma são contraditórias (e manipuladoras igualmente) as teses em confronto. Mas há dias um grupo de rufias fez mais pelos transgénicos do que muitos anos de pressões e discussões. Bastou invadirem a herdade de um cidadão que cultivava legalmente cereais, destruírem uma plantação, e virem depois ufanarem-se do feito, com o beneplácito de grupelhos ditos ecológicos e políticos. Como é possível num estado de direito? E ainda dizem que o Estado é ditatorial? Enfim.
Viver em democracia é difícil. Mas todas estas questões devem ser debatidas em local apropriado. A legislação discute-se na Assembleia e no Governo. O que é aprovado por maioria não pode ser rejeitado com alegações idiotas de partidos de terceiro mundo. Se formos por esse caminho não há democracia que resista. Tudo o que está legislado terá os seus opositores ideológicos (e não só ideológicos!) e toda a gente virá para a rua obter pela força o que lhe é sonegado pela lei. O Bloco de Esquerda não percebe isso? Se a sociedade é uma selva onde ecologistas despeitados podem fazer o que querem, nazis ressabiados também podem lançar o pânico entre negros e judeus, benfiquistas ou portistas fazem justiça por mãos próprias, católicos queimam em piras adversários de credo e o que mais adiante se verá.
Vamos ter juízo nessas cabeças?
Não sei se o conseguiremos.

2. No mesmo jornal (DN, de hoje, 24 de Agosto) Fernanda Câncio escreve um bom texto de opinião onde arrasa a imprensa cor-de-rosa e os tablóides que não sabem parar perante nada, e esgravatam a vida de carrascos e vítimas para vender jornais, não olhando a meios. Na capa dessa mesma edição, e numa página interior (inteira) desse diário, uma acusação gravíssima: “Macário Correia acusado de assédio sexual por uma funcionária da Câmara de Tavira”: O caso foi julgado e provado? Não. A referida funcionária é tida como “esquizofrénica e maluca” por outros funcionários da CMT. Foi devidamente fundamentada esta informação? Não, Tudo se passa no campo do "diz-se, diz-se".
Mas que é isto? Onde é que já chegámos? Um cidadão qualquer pode ser difamado na primeira página de um jornal, antes de ser julgado e condenado? Ora neste caso há de certeza um réu culpado e uma vítima, mas não se sabe quem. Nesta altura ambos se encontram inculpados e, como afirma a advogada de defesa da senhora que se diz "sexualmente molestada", este é um crime privado que não pode ser documentado por testemunhas. O que vale tanto para a senhora e para o senhor. O que quer dizer que qualquer pessoa pode acusar outra e ninguém está livre de ver o seu nome injustamente colocado na primeira página de um diário acusado do que quer que seja. Com ou sem razão.
Ainda por cima com o PSD em movimentações eleitorais, sabendo-se que Macário Correia é um apoiante de um candidato, não seria preferível um certo decoro nestes casos? Ou os jornais já se metem nestas disputas internas? Acontece que nunca fui do PDS, não tenho nada com qualquer dos candidatos, nem gostei do Macário Correia quando comparou beijos a cinzeiros, na sua cruzada anti tabagista, mas prezo muito alguns procedimentos democráticos, sem os quais qualquer dia estamos a chafurdar num nível "abaixo de cão".
A comunicação social devia saber que só se pode acusar alguém depois de julgado e condenado e não antes. Ganha-se vendas de exemplares com este sensacionalismo barato, mas também se perdem. E perde-se sobretudo credibilidade.

4 comentários:

isabel victor disse...

Achei pornográfica essa fúria dos meninos trans(génicos)!!!

vague disse...

Eu fiquei espantada com a forma como a notícia de assédio sexual foi apresentada e ainda mais com a caracterização q foi feita da suposta vítima - os jornais sensacionalistas não têm decoro nenhum e alimentam continuamente a apetência de escândalos q nos cultivaram.

No caso dos transgénicos: aqueles meninos iam de cara tapada e agora vem o líder dizer q ele (líder) não participou do ataque e aqueles q particparam não foram identificados. E eu acho q vou é p
or um post sobre isto!

Abraço!

inominável disse...

dois casos que são dois bons retratos actuais de onde estamos e do onde podemos chegar... que é afinal muito pouco perto...

Inês Lopes disse...

Se é acusado de roubo também aparece nas notícias... e igual a este caso. Se assim fosse ninguém podia fazer notícias sobre nada... e acusado ninguém disse culpado!!!