terça-feira, maio 06, 2008

RTP 1: SÁBADO, 10 DE MAIO, 23,15 horas

HUMBERTO DELGADO: OBVIAMENTE, DEMITO-O!
Documentários
1958, A saga de Humberto Delgado...


No dia 10 de Maio de 2008 comemoram-se 50 anos sobre o início da Campanha Eleitoral para as eleições de 1958, protagonizada pelos candidato da oposição, General Humberto Delgado, e candidato da União Nacional, Almirante Américo Thomaz.
Evocando e reavivando não só os tempos do Estado Novo, e da ditadura de Oliveira Salazar, numa análise crítica actual e despreconceituosa, como sobretudo a personalidade vulcânica e vibrante do “General sem Medo”, como ficou conhecido na História, este documentário recorda um período particularmente quente e significativo da luta política em Portugal, que terá marcado toda a História da segunda metade do séc. XX em Portugal.
O documentário procura tornar claro, através de depoimentos e imagens de arquivo, os antecedentes das eleições, o “Estado Novo” durante os anos 30 e 40, a degradação da situação político-social de Portugal em meados dos anos 50, a génese da candidatura do General Humberto Delgado, com particular ênfase na personalidade do candidato. Serrão recuperadas imagens da Campanha que atravessou o País de Norte a Sul, do continente às colónias, documentando os aspectos mais importantes, Lisboa (Chave de Ouro), Porto (Campanhã), Lisboa (Santa Apolónia), Braga, etc. O pacto de Almada, com Arlindo Vicente, o dia das eleições, os resultados e finalmente a burla eleitoral.
Uma atenção especial será ainda conferida às consequências da campanha, as posteriores crises estudantis, operárias, militares, a morte de Humberto Delgado e o caminhar, de crise em crise, até ao 25 de Abril de 1974.
Entre dezenas de depoimentos inéditos, recolhidos expressamente para este trabalho, contam-se os de Iva Delgado, filha do General, Humberto Rosa, neto, Marcelo Rebello de Sousa, Mário Soares, Ramalho Eanes, Adriano Moreira, Fernando Dacosta, Fernando Rosas, Vasco Lourenço, Pezarat Correia, Otelo Saraiva de Carvalho, António Taborda, Luís Farinha, Maria Barroso, Jaime Nogueira Pinto, Manuel Cavaco, Varela Gomes, Manuel Serra, João Mário Mascarenhas, Joaquim Vieira, Irene Pimentel, etc.


Um documentário de Lauro António
Director de fotografia Carlos Cunha e Frederico Corado assistente de realização.


RTP 1: Sábado 10 de Maio - 23:15
RTP Internacional: Domingo 18 de Maio - 21:30 (hora de Lisboa)

Veja mais informações AQUI

15 comentários:

morfose disse...

Um beijinho para si.

isabel victor disse...

Ah, quero ver !
Vou-me sintonizar ...


Bj* de estrelas

Luis Eme disse...

Parabéns Lauro António.

O documentário sobre Humberto Delgado é um extraordinário relato da nossa história recente.

abraço

Ana Paula disse...

Muitos parabéns pelo documentário! Um excelente registo de imagens e de depoimentos acerca de um facto de grande interesse e importância para a nossa história! Sobre o qual faltava informação, sobretudo para os que não viveram, com a idade da consciencialização, aquela época.

Acompanhei atentamente e achei muito atraente. Deixou ficar a vontade de procurar saber mais sobre a época e a figura do General Humberto Delgado...

Obrigada!

Beijinhos :)

Imagination disse...

Foi brilhante.

A história Portuguesa do século XX, ainda está por escrever, realizar, documentar. Muitos dos intervenientes ou observadores directos ainda estão (estarão?) dispostos a contar aquilo que aconteceu através da sua perspectiva.
Está na hora de a televisão pública, da rádio pública e da comunidade académica Portuguesa tomar em mãos esta grande tarefa que é contar o Portugal do século XX. Espero ver mais trabalhos seus na TV, mas também espero que o resto da sociedade acorde e perceba que não se pode adiar mais, daqui a 50 anos já vai ser tarde demais.

Muitos Parabéns.
Carlos

Patrícia Carvalhais disse...

Porreiro, tio, porreiro!

Só acho que este tipo de programas continua a ir para o ar muito tarde!

Parabéns!

Snowmass disse...

Como prometi, não deixei escapar o seu trabalho sobre esta efeméride. Foi com grande atenção que ouvi as declarações dos vários intervenientes.
Muito haverá ainda por descobrir, sabendo-se que o actual regime ainda não pegou com o interesse merecido na documentação existente para uma completa avaliação e julgamento históricos.
Aceite os meus parabéns pelo seu (mais um) magnífico trabalho, que nos faz renascer a vontade de voltar a ler sobre estes assuntos.

Anónimo disse...

No Blogue "Bicho Carpinteiro":
Domingo, Maio 11, 2008
Obviamente, demito-o

Ontem fui ao teatro A Barraca ver a peça de Helder Costa em que o actor João de Ávila desempenha o papel de Humberto Delgado e compõe um personagem solto e lúdico.Hoje ouço pela primeira vez a voz do General no programa que está a passar na RTP1 da autoria de Lauro António.Uma voz gravada e desvanecida pela técnica do tempo mas ainda solta e determinada.De quem sabia o que queria.Como teria sido Portugal caso Salazar fosse demitido na altura?

posted by josé medeiros ferreira @ 00:12

Anónimo disse...

No Blogue "Largo da Memória":
Domingo, Maio 11, 2008
Demito-o, Obviamente!

Acabei de assistir ao documentário de Lauro António sobre Humberto Delgado e as eleições presidenciais de 1958.
Foi um grande momento documental da história recente do nosso país, e também de televisão, no que deve ser entendido como serviço público de excelência.
Publicada por Luis Eme em 5/11/2008 12:37:00 AM

2 comentários:
Maria P. disse...
Foi sem dúvida.
Merecia outro horário, digo eu...
Beijos*

11-05-2008 10:44
Graça Pires disse...
Não vi e tenho pena.
Um abraço.

11-05-2008 16:33

Anónimo disse...

No Blogue "Oceano de Palavras":
7/Mai/2008
Documentário do amigo Lauro António...
...exibido na RTP 1 no próximo Sábado dia 10 de Maio pelas 23h15.
HUMBERTO DELGADO:
OBVIAMENTE, DEMITO-O!
Documentários 1958, A saga de Humberto Delgado...
No dia 10 de Maio de 2008 comemoram-se 50 anos sobre o início da Campanha Eleitoral para as eleições de 1958, protagonizada pelos candidato da oposição, General Humberto Delgado, e candidato da União Nacional, Almirante Américo Thomaz.Evocando e reavivando não só os tempos do Estado Novo, e da ditadura de Oliveira Salazar, numa análise crítica actual e despreconceituosa, como sobretudo a personalidade vulcânica e vibrante do “General sem Medo”, como ficou conhecido na História, este documentário recorda um período particularmente quente e significativo da luta política em Portugal, que terá marcado toda a História da segunda metade do séc. XX em Portugal.O documentário procura tornar claro, através de depoimentos e imagens de arquivo, os antecedentes das eleições, o “Estado Novo” durante os anos 30 e 40, a degradação da situação político-social de Portugal em meados dos anos 50, a génese da candidatura do General Humberto Delgado, com particular ênfase na personalidade do candidato. Serrão recuperadas imagens da Campanha que atravessou o País de Norte a Sul, do continente às colónias, documentando os aspectos mais importantes, Lisboa (Chave de Ouro), Porto (Campanhã), Lisboa (Santa Apolónia), Braga, etc. O pacto de Almada, com Arlindo Vicente, o dia das eleições, os resultados e finalmente a burla eleitoral.Uma atenção especial será ainda conferida às consequências da campanha, as posteriores crises estudantis, operárias, militares, a morte de Humberto Delgado e o caminhar, de crise em crise, até ao 25 de Abril de 1974.Entre dezenas de depoimentos inéditos, recolhidos expressamente para este trabalho, contam-se os de Iva Delgado, filha do General, Humberto Rosa, neto, Marcelo Rebello de Sousa, Mário Soares, Ramalho Eanes, Adriano Moreira, Fernando Dacosta, Fernando Rosas, Vasco Lourenço, Pezarat Correia, Otelo Saraiva de Carvalho, António Taborda, Luís Farinha, Maria Barroso, Jaime Nogueira Pinto, Manuel Cavaco, Varela Gomes, Manuel Serra, João Mário Mascarenhas, Joaquim Vieira, Irene Pimentel, etc.
Um documentário de Lauro António
Director de fotografia Carlos Cunha
Frederico Corado, assistente de realização.
RTP 1: Sábado 10 de Maio - 23:15
RTP Internacional: Domingo 18 de Maio - 21:30 (hora de Lisboa)

Lóri disse...

Pena que a RTP nào esteja online e não passe tudo no cabo! Beijo, Mr Movie! E parabéns, pela repercussão, a qualidade continua!

Lauro António disse...

A todos quantos deram aqui a sua opinião, o meu muito obrigado. Bem assim como à Rosário Fardilha, à Alexandra Amorim,à Sónia Barbosa, à Andreia S, que, tendo blogues, me exprimiram a sua amizade por outras formas. É sempre bom sentir a comunicação estabelecer-se, mesmo quando a amizade fala mais alto. Sobretudo quando assim sucede (e temos a noção de perceber, por isso mesmo, como descontar o que há para descontar).

intruso disse...

Vi e gostei.
(uma lição)

abraço
:)

Bandida disse...

gostei imenso. desde a tua casa em portalegre até tudo o resto que é importante mostrar para que a história não se perca em amnésias brutais...

parabéns, LA!!

era importante continuares a fazer "coisas" destas pela televisão...


beijo saudoso!

Rogério de Freitas disse...

Excelente documentário, apesar de ter perdido grande parte,espero poder revê-lo em breve.
Parabéns.
http://rogeriofreitas.blogspot.com/